@@ Desde Música a Astronomia !Da História a Arte antiga e Contemporânea,Ecologia e Meio Ambiente,Consciência Global,Notícias e também Vídeos sobre vários temas e Jogos! @@

Postagens populares !

sexta-feira, 21 de março de 2008

Dizzler Player




Este é um player Fabuloso !
Toca áudio e vídeo pela internet!
de primeira mão no meu site.podem usar pois eu uso ele no site!
se você baixar, pelo player da até pra jogar,ouvir a sua estação de rádio favorita,etc...



Leia Mais>>

quinta-feira, 20 de março de 2008

EVEREST Ultimate Edition 4.20.1170 - Portable



EVEREST Ultimate Edition é um sistema de informações sobre hardware e software.Ele vem com um banco de dados e informações físicas sobre CPU, placa mãe, disco rígido, drives óticos, placas e muito mais.A informação pode ser exibida na tela, impressa ou salva como relatório em formato HTML ou texto.
O módulo de diagnóstico pode ajudar para encontrar problemas em potencial, ao destacá-los no relatório e incluir links para os sites dos fabricantes, atualizações e muito mais.Um modelo de relatório permite a criação detalhada dos mesmos em qualquer formato.

* Hospedagem: Easyshare
* Tamanho: 9,1 MB

Leia Mais>>

AIMP Player 2.11

Aimp Player 2.11





AIMP é um player graficamente muito interessante, apresenta um interface muito acessível, destaca-se da “concorrência” pelo seu algoritm, este produz um som mais cristalino.

Mas isto são apenas gotas de um imenso mar de opções, vamos lá descrever algumas das opções que esta ferramenta tem para oferecer:
Mais »« Menos

* Suporta uma grande variedade de formatos áudio:
MP1, MP2, MP3, MPC / MP+, AAC, AC3, Ogg, FLAC,APE, WavPack, Speex, WAV, CDA, WMA, S3M, XM, MOD, IT, MO3, MTM, UMX

* Tem uma interface intuitiva e explicada.

* Equalizador de 18 bandas para aperfeiçoar efeitos sonoros:
Reverb, Flanger, Chorus, Pitch, Tempo, Echo, Speed

* Processamento do som a 32-bit:
Resulta em uma música mais cristalina, sem o incomodativo ruído de fundo

* Controla mais do que uma lista de programação simultaneamente

* Suporta módulos para funcionalidades extras
Pode adicionar utilitários, plugins, como por exemplo Input, Gen, DSP derivados do Winamp

* Encerramento do computador
Pode definir o quando quer que o PC seja desligado, por exemplo no final de um álbum que está a ouvir.

* Rádio Online
Esta aplicação permite ouvir e gravar as suas emissoras favoritas!

* Criação de uma lista de favoritos
Pode, à medida que for ouvindo, criar listas de favoritos, atalhando futuras experiências audiófilas.

E muito mais…

  • Hospedagem: Easyshare
  • Tamanho: 2,89 MB
Leia Mais>>

quarta-feira, 19 de março de 2008

Aprenda como não pagar mais internet banda-larga



Bem vindo ao cresce.net a internet banda-larga e discada que te paga!

Parece ser mentira,mas é a pura realidade pois eu sou cadastrado e ganho alguns trocos muito bom por sinal! Sabe, eu não acreditava mas a mais de dois anos um amigo meu policial,me falou desta novidade,e me mostrou o quanto ele tinha de crédito,:350,00 reais ! Isso mesmo,navegando pelo discador cresce.net.Não pensei duas vezes migrei para o cresce.net
Hoje em dia eu tenho vários indicados, e uso a banda-larga que te paga pra acessar do cresce.net é só indicar pessoas e amigos,parentes, etc...
Obs: Se você for cadastrar na banda-larga indique meu ID:1647413
Para assinar entre em contato com o tele-vendas do Cresce net.
(51) 3014-4000 (PORTO ALEGRE) ou 0800 – 6019010 Nas demais cidades

Para se cadastrar e começar a ganhar dinheiro clique no link abaixo!
http://www.cresce.net/home.asp?id=1647413

Sem pagar pelo acesso à Internet, ganhe até R$ 0,10 por hora de conexão discada.
Pra dobrar esse valor é fácil: indique amigos e incentive que eles acessem pelo menos 10 horas por mês. Pronto, você já passa a ganhar até R$ 0,20 por hora.
Indicando muitos amigos você ganha pelas horas que eles utilizarem também!
Você recebe o valor mensal numa conta de banco, dotz ou com o Cartão CresceNet Visa. O cartão é legal porque você pode sacar na rede Banco24Horas e usar nos estabelecimentos que aceitam Visa!
Pagando pulso local pela ligação telefônica, você pode discar a partir de mais de 2.100 cidades no Brasil.
Faça a conta: conectando somente nos horários de pulso único* você ganha até R$ 68,80** por mês em dinheiro vivo, sem gastar quase nada de telefone!
Todo mês tem promoções inacreditáveis, onde todo mundo tem chance. Você pode ganhar computadores, DVDs, câmeras digitais e boladas em dinheiro - já distribuímos mais de 3 milhões em bônus, desde maio de 2004. * Pulso único é assim: são horários em que você paga apenas o primeiro pulso, independente do tempo da ligação Clique aqui para saber mais.
Acesse a lista
** Exemplo considerando um mês com 31 dias, sendo 20 dias úteis e 11 não úteis, recebendo valor dobrado ( até R$ 0,20/h), válido somente em cidades em que o CresceNet bonifica nos horários de tarifação reduzida.
Além de ganhar com as suas horas de conexão, com o Programa de Indicação você recebe créditos pela indicação de novos clientes ao provedor.
Você ganha bônus pelas pessoas que você indicar diretamente ("indicados diretos", infinitos) e também pelos indicados de seus indicados ("indicados indiretos", em infinitos níveis). Cada indicado assinante do plano gratuito gera para você de R$ 1,00 a R$ 5,00 (dependendo do
número de horas que o indicado acessar).São mais de 2.100 cidades em todo o Brasil.
Para se cadastrar e começar a ganhar dinheiro clique no link abaixo!
http://www.cresce.net/site/index.php?id=1647413

















Horas do Indicado
Crédito em (R$)
10 a 20 1,00
20 a 30 2,00
30 a 40 3,00
40 a 50 4,00
mais de 50 5,00
Leia Mais>>

terça-feira, 18 de março de 2008

Temas XP

Temas XP



Os melhores temas para windows xp, ChaNinja, Christmas Xp, crystalblue, illusion, metallics e muito mais...

Informações
Estilo: Temas
Tamanho: 31 Mb
Formato: Rar
Idioma: Inglês




Leia Mais>>

Os mistérios do Egito Antigo


Introdução

A civilização egípcia antiga desenvolveu-se no nordeste africano (margens do rio Nilo) entre 3200 a.C (unificação do norte e sul) a 32 a.c (domínio romano).
Como a região é formada por um deserto (Saara), o rio Nilo ganhou uma extrema importância para os egípcios. O rio era utilizado como via de transporte (através de barcos) de mercadorias e pessoas. As águas do rio Nilo também eram utilizadas para beber, pescar e fertilizar as margens, nas épocas de cheias, favorecendo a agricultura.

A sociedade egípcia estava dividida em várias camadas, sendo que o faraó era a autoridade máxima, chegando a ser considerado um deus na Terra. Sacerdotes, militares e escribas (responsáveis pela escrita) também ganharam importância na sociedade. Esta era sustentada pelo trabalho e impostos pagos por camponeses, artesãos e pequenos comerciantes. Os escravos também compunham a sociedade egípcia e, geralmente, eram pessoas capturadas em guerras.Trabalhavam muito e nada recebiam por seu trabalho, apenas água e comida.

A escrita egípcia também foi algo importante para este povo, pois permitiu a divulgação de idéias, comunicação e controle de impostos. Existiam duas formas de escrita: a demótica (mais simplificada) e a hieroglífica (mais complexa e formada por desenhos e símbolos). As paredes internas das pirâmides eram repletas de textos que falavam sobre a vida do faraó, rezas e mensagens para espantar possíveis saqueadores. Uma espécie de papel chamado papiro, que era produzido a partir de uma planta de mesmo nome, também era utilizado para registrar os textos.

A economia egípcia era baseada principalmente na agricultura que era realizada, principalmente, nas margens férteis do rio Nilo. Os egípcios também praticavam o comércio de mercadorias e o artesanato. Os trabalhadores rurais eram constantemente convocados pelo faraó para prestarem algum tipo de trabalho em obras públicas (canais de irrigação, pirâmides, templos, diques).

A religião egípcia era repleta de mitos e crenças interessantes. Acreditavam na existência de vários deuses (muitos deles com corpo formado por parte de ser humano e parte de animal sagrado) que interferiam na vida das pessoas. As oferendas e festas em homenagem aos deuses eram muito realizadas e tinham como objetivo agradar aos seres superiores, deixando-os felizes para que ajudassem nas guerras, colheitas e momentos da vida. Cada cidade possuía deus protetor e templos religiosos em sua homenagem.

Como acreditavam na vida após a morte, mumificavam os cadáveres dos faraós colocando-os em pirâmides, com o objetivo de preservar o corpo para a vida seguinte. Esta seria definida, segundo crenças egípcias, pelo deus Osíris em seu tribunal de julgamento. O coração era pesado pelo deus da morte, que mandava para uma vida na escuridão aqueles cujo órgão estava pesado (que tiveram uma vida de atitudes ruins) e para uma outra vida boa aqueles de coração leve. Muitos animais também eram considerados sagrados pelos egípcios, de acordo com as características que apresentavam : chacal (esperteza noturna), gato (agilidade), carneiro (reprodução), jacaré (agilidade nos rios e pântanos), serpente (poder de ataque), águia (capacidade de voar), escaravelho (ligado a ressurreição).

A civilização egípcia destacou-se muito nas áreas de ciências. Desenvolveram conhecimentos importantes na área da matemática, usados na construção de pirâmides e templos. Na medicina, os procedimentos de mumificação, proporcionaram importantes conhecimentos sobre o funcionamento do corpo humano.

Leia Mais>>

segunda-feira, 17 de março de 2008

Qual será o nosso tamanho no universo?

Qual a grandeza humana representada no Universo?



As vezes nos perguntamos...qual será a magnitude do Universo? De uma coisa eu tenho certeza.
Se analizarmos pelo ponto de vista filosófico, talvez não estamos só no universo. Mas devido as proporções gigantescas do tamanho do cosmos, talvez impeça de mantermos algum contato!
com quem? Será que existe mais vida em todo o cosmos?
Mas agora pelo ponto de vista astronômico... nós somos muito pequenos, quase insignificantes nesta bola azul chamada Terra. Vejamos,a terra tem 12.756 km de diâmetro Júpiter que é uma Proto-estrela tem 142.984 km de diâmetro, imaginem comparar com o sol? O sol é 1.300.000 vezes maior que a Terra! Ainda existem estrelas que caberiam todo o Sistema Solar inteiro dentro delas!!!

A Seguir tem um pequeno vídeo que compara planetas e estrelas em tamanho e magnitude.




Leia Mais>>

O nascimento e morte de uma estrela !


NASCIMENTO, VIDA E MORTE DAS ESTRELAS
Parte I - O NASCIMENTO DAS ESTRELAS

Apresentação:

Uma estrela, desde que se condensa a partir de uma nuvem de gás, está sob a ação de sua autogravitação. A gravidade comprime o gás para o centro da estrela, obrigando-a a produzir energia que gera a pressão suficiente para conter o colapso.
O núcleo da estrela, gigantesco reator de fusão nuclear, processa a matéria do meio interestelar sintetizando, a partir dela, elementos químicos mais pesados.
A gravidade atua inexoravelmente, comprimindo a estrela até levá-la a esgotar sua fonte de energia. As estrelas de pequena massa caminham para a morte resfriando-se lentamente, enquanto que as de grande massa explodem de forma violenta (brilhando 100 bilhões de vezes mais que o Sol), espalhando pelo meio interestelar os elementos químicos que foram processados no núcleo. A matéria interestelar assim "enriquecida" de elementos pesados será continuamente reprocessada em novos ciclos de formação, vida e morte de estrelas.
A maior proporção de elementos químicos pesados nas estrelas jovens em relação às estrelas velhas, é evidência de que muitos ciclos de reprocessamento ocorreram na nossa Galáxia desde sua formação.
A matéria - base da constituição dos organismos vivos (C, O, Fe, etc.) teria se originado no centro de estrelas e participado de eventos catastróficos envolvendo as maiores liberações de energia conhecidas no Universo. Podemos, pois, dizer que somos um dos produtos da evolução estelar.
Esta é, em linhas gerais, a história fascinante que queremos contar em três artigos que aparecerão nesta revista. No primeiro, abordaremos o nascimento, com as condições iniciais necessárias para a formação das estrelas e a cronologia dos processos físicos. Nos próximos números, descreveremos os rumos que a estrela recém formada pode tomar na sua vida (2° artigo) e os processos que ocorrem nos estágios avançados da evolução até sua morte (3° artigo).
Com isso, pretendemos colocar os leitores da revista a par das idéias correntes em Astrofísica sobre a evolução estelar, assunto chave para o estudo do Universo em pequena e grande escala. Algumas aplicações simples para serem utilizadas por professores do ensino médio (e mesmo superior) para dinamizar suas aulas de Física serão apresentadas em cada um dos artigos.


PARTE I - O NASCIMENTO
AS NUVENS INTERESTELARES

Numa noite sem luar, podemos ver, próximo ao pé do Cruzeiro do Sul, em meio a uma região bastante estrelada uma espécie de mancha escura chamada Saco de Carvão. trata-se de uma das muitas nuvens de gás e poeira que existem em nossa galáxia e que são denominadas nuvens interestelares (muitas outras podem ser vistas a olho nu como manchas escuras espalhadas na Via Láctea, por entre campos ricos em estrelas). estrelas recém formadas no interior da nuvem podem "iluminá-la" como no caso da nebulosa de Orion.
Muito mais rarefeitas que o melhor vácuo já obtido em laboratório, essas nuvens têm densidades típicas de 30 átomos/cm3 e temperaturas típicas de 75 K (-198° C). Entre as nuvens existe um meio interestelar mais quente e menos denso.
As flutuações na densidade que ocorrem freqüentemente no interior dessas nuvens, funcionam como centros que atraem gravitacionalmente a matéria circundante. Havendo densidade suficiente, esses centros, ou glóbulos, atraem cada vez mais matéria, reforçando o campo gravitacional, que por sua vez, obriga a matéria contida nos glóbulos a se concentrar sempre mais.
A energia cinética dos átomos em queda livre sobre o centro dos glóbulos é dissipada, aumentando a energia cinética média do gás. A pressão térmica resultante atua no sentido de impedir que o colapso continue. Por outro lado, metade da energia térmica é emitida em forma de ondas eletromagnéticas (principalmente na faixa espectral do infravermelho). Essa perda de energia provoca, portanto, a queda da pressão e facilita o trabalho da gravidade de contrair o glóbulo e aumentar ainda mais a temperatura central.
A essa altura, a massa do gás que se contrai e se auto-aquece é um embrião de uma nova estrela. Vamos, aqui, delinear a história da contração de um glóbulo de massa igual à do Sol (1 massa solar º 1 Mq = 2 x 1033 g). Atingida a temperatura de 15000 K as colisões separam os elétrons dos prótons ionizando completamente o Hidrogênio. Nesta fase, um glóbulo com raio inicial de 3 vezes a distância atual do Sol a Plutão (que é de cerca de 6 bilhões de Km) contrai-se até ter um raio igual à distância da Terra ao Sol (150 milhões de Km). Uma proto-estrela já existe e, se sua massa for de 1 Mq sua luminosidade será 10 mil vezes maior que a do Sol atual (4x1033 ergs). A energia irradiada é toda proveniente da contração gravitacional. Com uma idade de 10 milhões de anos a proto-estrela possui um núcleo a uma temperatura de 12 milhões de K e diâmetro igual ao do Sol.

Fig. 1.1 - Emissão de radiação na contração gravitacional


O FIM DA CONTRAÇÃO GRAVITACIONAL


A temperatura de 12 milhões de K a velocidade média dos prótons é tal que, numa colisão podem se aproximar a distâncias em que o campo de interação nuclear é tão intenso quanto o campo de repulsão elétrica (d = 10-13 cm).
Dois prótons que colidem com velocidade relativa maior que a velocidade média atravessam a barreira de repulsão coulombiana, caindo sob o domínio das forças nucleares que acelera um contra o outro provocando sua fusão em um núcleo atômico mais pesado. A massa do novo núcleo é 0,5% menor que a soma das massas das partículas utilizadas para formá-lo. a diferença de massa é totalmente transformada em energia segundo a fórmula de Einstein:

E = D mc2 (I.1)

onde D m é a diferença de massa e c a velocidade da luz. Essa energia é irradiada para foram do núcleo. Parte dela interage com o gás que envolve o núcleo, aquecendo-o e sendo re-irradiada em comprimentos de onda mais longos, inclusive na faixa visível do espectro eletromagnético (~ 3500 Å a ~ 8000 Å).

A temperatura do núcleo aumenta até atingir 15 milhões de K e a pressão do gás (2,7 bilhões de atmosferas) é então, suficiente para sustentar o pesos das camadas externas comprimidas para o centro pela gravidade. A massa de gás atinge um estado de equilíbrio que é mantido pela fusão constante do Hidrogênio. Nasce uma nova estrela!

Os cálculos indicam que um glóbulo com massa maior que 60 Mq não atinge o estágio de equilíbrio, colapsando e explodindo. O fato de, até hoje, não ter sido descoberta qualquer estrela com mais de 60 Mq é um indício da consistência do modelo teórico apresentado.

O tempo que um glóbulo leva para percorrer os processos que descrevemos, depende de sua massa. Para 10 Mq o tempo é de 10 mil anos; para 1 Mq é de 30 milhões de anos e para 1/10 Mq é de cerca de 100 milhões de anos. Glóbulos com menos de 5/100 Mq não têm gravidade suficiente para iniciar a "queima" do Hidrogênio. Eles se resfriam lentamente, transformando-se em planetas. Júpiter, por exemplo, tem 1/1000 Mq , não muito distante pois, do que seria requerido para brilhar como uma estrela.

ROTAÇÃO DAS PROTOESTRELAS


Os glóbulos têm movimento de rotação e, pela lei da conservação do momento angular, devem girar com maior rapidez à medida que se contraem. Uma partícula que permaneça na superfície de um glóbulo de 1 Mq terá sua velocidade angular aumentada de 900 milhões de vezes até que a estrela pare de se contrair. A força centrífuga, nesta situação, é muito maior que a atração gravitacional e essa partícula seria jogada fora da estrela como ocorre com gotas de água na superfície de uma bola posta a girar rapidamente. Isso romperia a proto-estrela se não houvesse algum mecanismo de transferência de momento angular do glóbulo para o meio que o circunda de modo que, a cada instante da contração, a força gravitacional supere a força centrífuga. Nesse ponto os modelos de formação de estrelas têm evoluído muito pouco. Acredita-se que o campo magnético da Galáxia ligue a proto-estrela ao material que a circunda através da viscosidade magnética, transferindo-lhe momento angular.

A força centrífuga é nula nos pólos e cresce à medida que nos deslocamos para o equador, enquanto que a gravidade não varia (se o glóbulo for aproximadamente esférico). Desse modo, a contração se dará mais facilmente nos pólos, sendo formada uma espécie de disco em rotação. Condensações presentes no disco podem gerar planetas (não é por acaso que os planetas do sistema solar orbitam num mesmo plano) ou outras estrelas que carregarão consigo grande parte do momento angular da proto-estrela, permitindo que ela continue se contraindo. Os planetas juntos, tem apenas 0,2% da massa do sistema solar e no entanto, carregam em seu movimento orbital, cerca de 97% do momento angular do sistema.


Fig. 1.2 - Da proto-estrela ao sistema planetário

Acabamos de expor os principais processos físicos envolvidos na formação de uma estrela. A construção de um modelo físico, no entanto, é muito mais complexa do que pode parecer à primeira vista. O cálculo do transporte de energia para a superfície da estrela, envolvendo os estados de excitação de cada átomo e o estado de equilíbrio da massa de gás exige a utilização de computadores de grande porte, que só foram desenvolvidas num passado recente. Desde o século passado, os Astrônomos acreditavam que as temperaturas observadas nas estrelas estivessem de algum modo, associadas a uma seqüência evolutiva. No entanto, os modelos de evolução não foram construídos, historicamente, a partir do início da contração gravitacional, como apresentamos aqui. Eles partiam de uma estrela já estabilizada, "queimando" Hidrogênio no núcleo, como apresentaremos no próximo artigo. Muitos Físicos, desde o século passado, entretanto, já haviam dado contribuições importantes para o entendimento do tipo de fonte de energia e a idade do Sol (e outras estrelas) mesmo sem dispor de meios para construir modelos sofisticados, calculando apenas ordens de grandeza das condições físicas. Vamos retomar alguns lances históricos e refazer alguns desses cálculos:
Julius Mayer, formulou, em 1842, o princípio de conservação de energia. A enormidade de energia luminosa proveniente do Sol despertava a curiosidade e exigia uma explicação de como era produzida e mantida. Mayer sugeriu que a luminosidade do Sol se originaria da transformação da energia cinética em energia térmica na queda de meteoritos sobre ele (o Sol). O aumento da massa do Sol, no entanto, seria de tal ordem que modificaria constantemente o movimento dos planetas e esta hipótese foi logo abandonada.
Em 1853, Helmholtz sugeria que, na contração de uma grande nuvem de gás uma quantidade considerável de energia poderia ser liberada. A quantidade de energia liberada pode ser calculada do modo que se segue:
Considere uma partícula de massa m, girando em órbita circular a uma distância r de um corpo de massa M. Para se manter numa órbita estável, sua aceleração centrípeta deve ser igual à gravitacional:

v²/r = GM/r² (I.2)

Multiplicando ambos os membros por m/2 e lembrando que a energia potencial gravitacional é dada por Ep = -GM m/r e a cinética por Ec = mv²/2 pode-se mostrar que a energia cinética é metade da energia potencial. Se a partícula cair para uma órbita (estável) de menor energia potencial, o ganho em energia cinética será só ½ da energia potencial perdida. Para que seja conservada a energia total (ET = Ep + Ec), a outra metade deve sair do sistema e isto se daria através da emissão de radiação. Assim a energia irradiada por grama de gás (e ) seria:

e = GMq /2Rq (I.3)

Este processo poderia alimentar o Sol - à presente luminosidade - por dezenas de milhões de anos.

Lord Kelvin, no século passado, usando o valor do fluxo térmico da Terra, medido no interior de minas e, supondo que a Terra no início estava sob forma de magma, calculou que a crosta teria levado 40 milhões de anos para se solidificar.

Medidas do decaimento radioativo em rochas, efetuadas no início do século levaram a idades de 3,5 bilhões de anos. Medidas mais recentes indicam que há 4,5 bilhões de anos já haviam rochas solidificadas. A continuidade da vida durante 3,5 bilhões de anos, revelada pela presença de fósseis vegetais e animais nas rochas de todas as eras geológicas nos leva a admitir que a luminosidade do Sol deve ter permanecido praticamente constante e a energia gravitacional não seria suficiente para mantê-la durante todo esse tempo.
Nosso sol, para nós a estrela que nos fornece luz e calor, alimento e vida!
do ponto de vista astronômico entretanto, ele é uma estrela que podemos classificar de comum.
Existem estrelas com 40 vezes mais massa que o Sol e outras com 1/50 de massa, ele é três ou quatro vezes maior que uma anã e 1/10 do tamanho de uma estrela considerada grande. É 100
vezes maior que uma anã branca e 1/100 do tamanho de uma gigante vermelha. Em relação a algumas estrelas ele é 10.000 vezes mais brilhante, enquanto quando comparado com outras, possui um brilho 10.000 vezes menor.

O futuro do sol
Nosso Sol é uma estrela de meia idade, pois já tem 5 bilhões de anos dos 10 que deve durar. Como teve um nascimento, também terá uma morte, carregando alguns dos seus filhos, inclusive a Terra, junto.
Daqui há uns 5 bilhões de anos, começará a ocorrer algumas mudanças no Sol. Ele iniciará uma expansão, aquecendo a Terra e fazendo com que algumas formas de vidas sejam extintas, evaporando os oceanos, devagar no início, até se esgotar toda a água do planeta, ao mesmo tempo que a atmosfera também se perderá no espaço.
O sol estará evoluindo para uma gigante vermelha, tornando a Terra seca, sem atmosfera e inabitável. Finalmente o sol preencherá todo o céu, podendo até engolir nosso planeta.
Não podemos entretanto nos preocupar com isso pois, daqui a cinco bilhões de anos os seres humanos ou se autodestruíram, ou mudaram do sistema solar para um lugar mais hospitaleiro.
De qualquer forma, esses seres, se existirem, devido a processos de evolução natural ou artificial, serão tão diferentes de nós como hoje diferentes das primeiras formas de vida de nosso planeta,
tendo certamente uma visão do universo bem diferente da que temos hoje !

Vamos ver um vídeo de como seria a morte do sol!


Leia Mais>>

Use o MSN Messenger no site !

Leia Mais>>

domingo, 16 de março de 2008

Encontre qualquer lugar da Terra com google mapas !


Exibir mapa ampliado Leia Mais>>
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Nuvem de Tags

Blogosfera amigos !

Curtir no Facebook

Assista meu canal musical no Youtube!